CAPITAL

Comerciante é preso por vender raizadas para tratamento terapêutico

Produtos foram apreendidos e suspeito levado para a delegacia. - Crédito: (Decon) Produtos foram apreendidos e suspeito levado para a delegacia. - Crédito: (Decon)

Após investigação do Ministério Público Estadual, a Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo) prendeu na manhã desta quinta-feira, dia 15 de abril, um comerciante de 63 anos, que vendia produtos com a promessa de tratamento para o fígado e manipulados  que supostamente tinham fins terapêuticos. Nada do que foi apreendido tinha aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), para ser comercializado.

De acordo com informações da Decon, os “remédios” eram vendidos em uma loja na rua Pedro Celestino, em Campo Grande. No local, policiais e agentes da Vigilância Sanitária da identificaram frascos do produto Lipotron Max, além da manipulação e rótulos de diversos outros produtos, supostamente para fins terapêuticos.

Em imagens divulgadas pela polícia é possível ver várias embalagens dos produtos acomodadas em prateleiras do comércio. Cada frasco armazenava 100 ml do líquido vendido.

Levado para a delegacia, o suspeito vai responder pelo crime de falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais sem registro. A pena é de 10 a 15 anos de prisão e além de multa. 

Comentários