POLÍCIA

MS leva 138 toneladas de cigarro apreendido para ser destruído no Paraná

Saída do comboio de carretas com cigarro contrabandeado de Mundo Novo (MS) com destino a Foz do Iguaçu (PR) - Crédito: Receita Federal/Divulgação Saída do comboio de carretas com cigarro contrabandeado de Mundo Novo (MS) com destino a Foz do Iguaçu (PR) - Crédito: Receita Federal/Divulgação

Um comboio com 14 carretas carregadas com 138 toneladas de cigarro contrabandeado que foi apreendido em Mato Grosso do Sul saiu na manhã desta quarta-feira, dia 29 de julho, de Mundo Novo, para Foz do Iguaçu, onde o material ilegal vai ser destruído pela empresa Irmãos Krefta.

A força-tarefa para o transporte do cigarro envolve a Receita Federal, Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade (FNCP), Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Força Nacional de Segurança.

O chefe da vigilância de repressão da alfândega de Mundo Novo, Rodrigo Lara, disse que o ano de 2020 teve um aumento expressivo no número de apreensões de cigarros, e provavelmente isso se deu graças à maior interação dos órgãos de segurança, que vem trabalhando em conjunto nas fiscalizações.

Para alertar a população sobre os prejuízos causados por este tipo de crime, foram pregadas, nas 14 carretas do comboio, mensagens sobre os impactos do contrabando no Brasil.

O translado da carga liberarou espaço físico nos depósitos da Receita Federal, o que possibilita que novas ações de combate e repressão ao contrabando sejam realizadas.

Durante a viagem, toda carga foi escoltada pelas polícias Federal e Rodoviária Federal, e pela Força Nacional.

Megaoperações

Está será a terceira força-tarefa de destruição de cigarros realizada com o apoio do Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade, em 2020. No primeiro semestre do ano o órgão já participou de outras duas megaoperações de combate ao contrabando, uma no Rio de Janeiro e outra no estado do Maranhão.

Comentários