ELEIÇÕES 2020

Justiça Eleitoral aprova todas as candidaturas e douradense tem sete opções para prefeito

Douradenses têm sete opções para comandar a prefeitura a partir de 2021 - Crédito: Dourados News/ Arquivo Douradenses têm sete opções para comandar a prefeitura a partir de 2021 - Crédito: Dourados News/ Arquivo

A Justiça Eleitoral deferiu todos os registros de candidaturas a prefeito de Dourados. Com isso, o eleitorado douradense terá sete opções de voto nas eleições municipais do próximo dia 15 de novembro. É o maior número de postulantes à chefia do Executivo num único pleito desde 1988, ano da redemocratização do Brasil.

O DivulgaCandContas apresenta os candidatos por ordem alfabética. O primeiro é Alan Guedes (Progressistas), vereador e atual presidente da Câmara Municipal que encabeça a coligação “Respeito por Dourados”, com o médico Doutor Guto (PL) de vice.

Até agora, declarou R$ 5.862,50 em receitas de campanha, todo o valor doado pela direção estadual do partido. Não houve detalhamento de despesas.

Em segundo figura José Carlos Barbosa, o Barbosinha (DEM), deputado estadual que lidera a Coligação “Reconstruir é o nosso desafio”, com Valdenir Machado (PSDB) de vice.

Ele informou ter obtido receitas totais, até agora, de R$ 310.000,00. Desse total, R$ 300 mil doados pela direção nacional de seu partido, e outros R$ 10 mil do próprio bolso. Não há, por enquanto, informações sobre despesas.

O terceiro candidato citado é o jornalista Jeferson Bezerra (PMN), que ainda não tem contas prestadas, além de ser o único dos postulantes à chefia do Executivo sem proposta de governo disponível no DivulgaCandContas. Seu vice é Messias, do mesmo partido.

A quarta candidatura mencionada é do professor aposentado João Carlos Joca (PT), com a correligionária Lurdes Castro de vice.

Ele informou a princípio R$ 3 mil em receitas de campanha, tudo de doação própria. Posteriormente houve mais R$ 90 mil oriundos da direção estadual do partido. De todo o montante, foram gastos R$ 1.330,00, sobretudo com produção de jingles, vinhetas e slogans.

O quinto é Mauro Thronicke Rodrigues (PSL), empresário que encabeça a coligação majoritária com bancário João Fabiano Davansso, seu correligionário, de vice.

Esse candidato indicou total de recursos recebidos de R$ 100.000,00. Todo valor doado pela Direção Estadual do PSL. Revelou ainda R$ 9.310,00 em despesas contratadas, R$ 5 mil para uma empresa processadora de pagamentos e R$ 4.310,00 para uma serigrafia.

A sexta candidatura detalhada é do farmacêutico Racib Harb (Republicanos), cuja vice, Dilvania Todescano, é do mesmo partido.

O candidato detalhou dispor de R$ 25 mil, todo valor doado pela direção estadual da sigla. Até agora, gastou R$ 6 mil, todo montante com serviços prestados por terceiros.

Sétimo candidato citado, o advogado Wilson Matos (PTB) tem como vice o professor Léo (PDT), além do apoio declarado da prefeita Délia Razuk (sem partido). Líder da Coligação “Igualdade para Todos”, informou ter injetado R$ 23.750,00 do próprio bolso. Não há despesa declarada.

Comentários