VACINAÇÃO

MS entra em contagem regressiva para vacinar 100% dos adultos

Em MS, homem recebe vacina contra a covid-19 no braço (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo) Em MS, homem recebe vacina contra a covid-19 no braço (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)

Até 31 de agosto, MS pode ter quase toda sua população vacinada com pelo menos uma dose

A contar pela meta do governo estadual, Mato Grosso do Sul agora tem 32 dias para vacinar toda a população adulta contra a covid-19 com pelo menos a primeira dose. A contagem regressiva começa e a previsão é boa - se o Estado continuar com a mesma média de aplicações por dia, esse índice pode ser completado até o último dia de agosto.

No mês de julho, segundo números do Vacinômetro, foram cerca de 14,6 mil vacinações por dia, entre dose única e primeira vacina. Contando os quase 481,1 mil sul-mato-grossenses com mais de 18 anos que não receberam nenhum imunizante, seria necessário cerca de 32 dias para alcançar tal feito.

Ao longo das últimas semanas, o governo estadual tem feito várias previsões de que todas as pessoas com 18 anos ou mais receberão ao menos uma dose de vacina até o final de agosto. No começo de julho, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) disse que todos poderiam estar vacinados até o fim de agosto.

Há quase duas semanas, a estimativa feita pelo secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, era menos otimista, e falava de aproximadamente 80% até o final do mês seguinte.

Essa previsão já foi superada e, conforme destacado por ele hoje, a meta inicial pode ser cumprida nos próximos dias. "Queremos chegar até o final desta semana, ou no máximo até a semana que vem, a 80% da população [adulta] que tenha tomado pelo menos a primeira dose", disse.

Até esta sexta-feira (30), dados do governo estadual indicam que quase 1,4 milhão de pessoas tomaram somente a primeira dose da vacina, 681,2 mil tomaram a segunda e 230,6 mil receberam a vacina única.

Comparado ao total de população adulta, são cerca de 76,9% de pessoas com 18 anos ou mais vacinadas com pelo menos a primeira dose, enquanto 43,8% estão imunizadas.

Conforme noticiado recentemente, foi decidido em todo Brasil que não deverá haver antecipação da aplicação de segunda dose diferente do prazo estipulado pelo Ministério da Saúde. Portanto, para garantir a imunização completa com o reforço, seria necessário esperar cerca de duas a 12 semanas após o término das aplicações de primeira dose.

Crianças e adolescentes - Além disso, órgãos gestores do SUS (Sistema Único de Saúde) informaram que a previsão de vacinação das pessoas com menos de 18 anos é para quando todo público adulto estiver contemplado com pelo menos o primeiro antígeno.

"So vamos aumentar a esse público após a definição do Ministério da Saúde, e queremos ser os primeiros estados a também imunizar os adolescentes, pelo menos começar, os de acima de 12 anos até 18 anos", pontuou Resende.

Atualmente, somente doses da Pfizer podem ser aplicadas em crianças que tenham de 12 a 18 anos, exclusivamente os com comorbidade, conforme diretrizes estabelecidas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Segundo dados estaduais, cerca de 800 mil pessoas têm menos de 18 anos em território sul-mato-grossense.

Vacinação em massa - Geraldo Resende também afirmou em coletiva que o bom desempenho na campanha, que tem feito MS ser o estado que mais vacina, se dá pelo trabalho feito pelos municípios. "Gostaria mais uma vez de parabenizar os municípios, todos os 79 municípios, seus secretários de Saúde, secretárias de Saúde, suas equipes de imunização que têm feito um trabalho louvável".

"Compromisso com a vida das pessoas, fazendo com que nosso Estado ainda permaneça na primeira posição do ranking nacional de imunização", parabenizou o titular da SES (Secretaria Estadual de Saúde).

Ele ainda mencionou que há previsão de mais doses entre hoje e amanhã, para além das que chegaram nesta semana, as quais ele cobra celeridade na aplicação. "Esperamos para essa sexta-feira que não tenhamos doses de vacinas na geladeira".

Por fim, ele citou a possibilidade da variante delta estar em circulação no Estado, mas que ainda não há nenhuma confirmação oficial. "[A vacinação rápida] é preciso para evitar inclusive, que a variante delta adentre o Mato Grosso do Sul. Tem gente dizendo que ela já chegou, mas até o presente momento não temos de fato nenhuma comprovação. Assim que tivermos, vamos anunciar", finalizou.

Comentários